182016abr

Avaliação de Risco – Mulher de alto Risco

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, aproximadamente 75% dos casos de câncer de mama originam-se em mulheres SEM FATORES DE RISCO para a doença. 

10% dos tumores são considerados hereditários e

    – 10-15% possuem história familiar positiva para câncer de mama.

A identificação das pacientes de risco é importante pois nos permite avaliar se essas pacientes se beneficiam de intervenções para profilaxia.

Existem vários modelos matemáticos que podem nos ajudar a quantificar o risco de câncer de mama, porém esses testes são validados para a população branca norte-americana, o que difere da nossa população.

Os modelos mais usados são:

  • Gail — http://www.cancer.gov/bcrisktool/
  • Claus e BRCAPRO — http://www.apbenson.com/about-cyrillic/
  • Tyrer-Cuzick (IBIS) — http://www.ems-trials.org/riskevaluator/

O teste que abrange mais informações, tanto antecedentes pessoais como familiares é o Tyrer-Cuzick.

Para Síndromes Genéticas Hereditárias (mais conhecida mutação do BRCA 1 e 2) os modelos usados são:

  • BRCAPRO; BOADICEA; MYDRIAD e Escore de Manchester.

O uso desses modelos é importante pois seleciona quais casos realmente tem risco e precisam de teste genético. O mais usado é o BRCAPRO.

Existem várias outras alterações, síndromes genéticas que não possuem teste diagnóstico específico ( Síndrome Li-Fraumeni, Cowden, HBOC.. entre outras)


O colega Dr. Guilherme Novita Garcia esteve no Congresso Norte-Americano de Cirurgiões da Mama (abril 2016), Dallas, e descreveu algumas conclusões sobre aulas assistidas no grupo da Sociedade Brasileira de Mastologia….

Repasso aqui….

Aula da Prof. Dra. Amy Degnim sobre qual o melhor modelo matemático de cálculo de risco.

As conclusões foram:
1) Nenhum dos métodos calcula adequadamente o risco de hiperpasias atípicas, nestes casos melhor usar dados populacionais (Dupont & Page)

2) O modelo de Tyrer-Cuzick, apesar de mais demorado para preencher, apresenta melhores resultados para cálculo de risco de câncer.
3) O modelo de Gail serve para avaliar populações candidatas à quimioprevenção e pode ser útil em indivíduos com pouca história familiar.
4) Seguem as sugestões da palestrante:
Mutação em BRCA: IBIS, BRCAPRO, BOADICEA.
História familiar importante e estado do BRCA desconhecido: Claus, IBIS, BRCAPRO, BOADICEA.
História familiar fraca ou ausente: Gail, IBIS, BCSC BBD, BBD-BC


Análise de Risco - Tyrer-Cuzick

Análise de Risco – Tyrer-Cuzick (Doenças da Mama – Frasson et all)


Anexo Algoritmo de Redução de Risco – MD Anderson Center

risk-reduction-breast-web-algorithm


Fonte : Grupo da Sociedade Brasileira de Mastologia, Doenças da Mama (Guia de Bolso Baseado em Evidências)